ARTISTA E ESTILISTA

Fause Haten (São Paulo, 1º de outubro) é um artista que surgiu no cenário brasileiro como estilista da geração que reacendeu a moda nacional nos anos 90. Seu trabalho na moda foi de grande contribuição, numa época onde pelas mãos de Paulo Borges, os desfiles de moda no Brasil começaram a ressurgir depois de longo hiato.

Foi considerado um dos principais talentos do design de moda do Brasil até meados de 2010, quando começa a transformar sua presença na moda e inicia sua trajetória nas artes cênicas e. visuais. Vem se destacando nos últimos anos em trabalhos como figurinista, artista visual e performer. 

Nascido em São Paulo, é filho de libaneses imigrantes que chegaram ao Brasil, fixaram residência na região da 25 de março e lá iniciaram uma indústria de confecção. Aos 16 anos com o objetivo de viajar para o exterior, começa a fazer roupas para vender.

Em 1986, o estilista lançou sua própria marca, a Der Haten, abrindo sua primeira loja na Av Cotovia em Moema.

Em janeiro de 1992 realizou seu primeiro grande desfile, dividindo a passarela com Walter Rodrigues, que também lançava sua marca autoral depois de passar por várias empresas.

O desfile foi uma parceria com a tecelagem Dahruj e a Ford Models e aconteceu num espaço de eventos dentro da Ford.

Em agosto de 1992, Fause e Walter fizeram seu segundo desfile. Também um desfile seguido do outro aconteceu desta vez no espaço da UNIT, União das Tecelagens com o apoio da Dahruj.

Em janeiro de 1993, Fause fez seu icônico desfile na sua loja da rua Cotovia, onde Paulo Borges e Erika Palomino conheceram seu trabalho.

No meio do ano de 1993 Fause entrou para o Phitoervas Fashion em sua segunda edição.

Depois disso, passou a fazer parte do calendário de moda Brasileiro dirigido por Paulo Borges, iniciado no Phytoervas Fashion transformado no Morumbi Fashion Brasil em 1997 e dando origem ao São Paulo Fashion Week em 1999.

Nessa época a marca Der Haten sai de cena e surge a Fause Haten, assumindo o seu próprio nome como marca e assinatura.

Como Fause Haten, foi levado ao mercado americano pela marca de perfumes Giorgio Beverly Hills. No dia 1 de setembro de 1999, foi lançado em um desfile na Rodeo Drive, rua de comércio mais importante do mundo.

Em 2000 passa a integrar a Semana de Moda de Nova York, participando por 4 edições.

Em 2001, ganhou o prêmio Abit Fashion Brasil como o melhor estilista do ano.

Também nesse ano, em parceria com a Riachuelo, lança a Haten.F, uma marca de streetwear jovem, com a intenção de tornar sua moda luxuosa, mais acessível.

Um projeto ambicioso que antecedeu os projetos de grandes estilistas com lojas de departamento que aconteceram no mundo todo nas décadas de 2000 e 2010.

Em 2002 foi convidado a se mudar para a Semana Oficial de Moda de Milão, onde desfila por mais 2 anos.

Foi o primeiro estilista brasileiro nessas semanas de moda internacionais, abrindo caminho para muitos outros, numa época onde se considerava a internacionalização da moda brasileira, algo muito distante.

Outra faceta do trabalho do estilista é a ourivesaria, a sua marca Fause Haten Jóias está no mercado desde 2004.

Em 2006 começa seus estudos em Artes Cênicas. Formou-se no Teatro Escola Célia Helena em 2009. Fez cursos dos mais variados de corpo, dança e interpretação, bem como de canto lírico e preparação vocal.

Em 2009 começa um trabalho com parceiros musicais compondo e cantando.

A partir dai começa a usar os conhecimentos adquiridos nas artes cênicas em seu palco, que eram as passarelas de moda.

Em janeiro de 2010, em seu desfile de inverno 2010 na SPFW se apresenta cantando camuflado por um chapéu de pelos, em seu próprio desfile.

Em junho de 2010, se apresenta novamente em seu desfile fazendo a trilha sonora ao vivo, encarnando um personagem que tinha seu rosto transformado em um globo de espelhos.

Lançou em 2011 seu cd autoral CDFH e o livro Algumas Palavras com textos poéticos e músicas de sua autoria.

Em junho de 2011 realiza o seu primeiro desfile/performance: Clarisse. Nesse desfile usando como trilha sonora um texto escrito e narrado por ele mesmo, dirige a performance em cena. Fause e mais 5 condutores, levam as modelos pelas mãos pela passarela, que de olhos vendados, andavam como se estivessem dormindo, repensando o andar tradicional de uma modelo. Esse desfile tem a presença dos bailarinos da Cia 8 Nova Dança e Nova dança 4 como Condutores e do ator e diretor Dagoberto Feliz como o Observador, que coloca caixas de música pelo espaço cênico completando a performance.

Em 2013 lançou o cd VÍCIO de regravações do universo brega e entrou em Turnê com o show de mesmo nome.

Em março de 2013, faz seu desfile/performance mais famoso, O MUNDO MARAVILHOSO DO DR. F. no Teatro Faap, onde as modelos são substituídas por bonecas marionetes de 70 cm de altura, fazendo homenagem a todas as modelos que já desfilaram para ele.

Em outubro de 2013, realiza no Museu de Arte Brasileira, o MAB Faap, A FÁBRICA DO DR. F., onde uma fábrica cenográfica foi montada e toda a coleção e a preparação da coleção foi feita aberta à visitação pública. Transformou as provas de roupa, casting, prova de maquiagem e etc. em performances e toda a sua equipe em performers. Essa performance fez parte do projeto ENTRADA FRANCA que também levou o desfile de Fause para a Av Paulista, numa performance inesperada no meio da rua.

Em abril de 2014 realiza a performance: Me ofereça seu corpo e eu te faço Rainha no Teatro Faap, durante a SPFW, onde construía uma roupa em cena.

Em abril de 2014, Fause faz a sua estreia como, autor, diretor e performer na peça A FEIA LULU, no Teatro Faap. Uma performance a partir da vida de Yves Saint Laurent e Pierre Bergé.

Usando o seu corpo e a sua vida como estilista, Fause faz uma linda homenagem a história desses personagens tão importantes do século XX.

Uma criação coletiva de Fábio Retti, Fause Haten, Francisco Carlos, Gregory Slivar, Marina Caron, Ondina Clais.

Em 2015 realizou o desfile/performance: Um “Styling” para Condessa Sahyoun no Espaço FH, durante a SPFW.

Em 2015, fez parte do elenco da peça O FINGIDOR de Samir Yasbec.

Em 2016 criou e fez a co curadoria do projeto #FOradaMOda no Sesc Ipiranga, onde também esteve presente coma instalação a Fábrica do Dr. F.

Na abertura da Fábrica do Dr. F. se apresentou com a performance Morte e Vida de uma Boneca de Moda.

O Fábrica do Dr. F. foi um espaço de exposição e performances que ficou em cartaz entre abril e junho apresentando os processos de criação de Fause na moda, teatro e artes visuais.

Na Fábrica do Dr.F. apresentou as performances Lili Marlene, um Risco 1, 2, 3, 4, 5 e 6. Essas performances fizeram parte da criação do espetáculo Lili Marlene, um Anti Musical.

Em 2016 apresentou a performance #CemPeitos na Galeria Mezanino.

Em 2017 estreou seu segundo trabalho autoral, no Teatro Eva Herz, Lili Marlene, um Anti Musical, com direção, texto e letras suas e músicas de André Cortada.

Em 2018 se dedicou a criação dos projetos fotográficos de auto registros de performances Selfiescultura e Naturaleza Morta.

Esses projetos fazem parte de sua terceira criação para teatro, Lê+ Lé: Eu sou Um Monstro.

Em 2019 começou uma serie de performances individuais que são parte do processo de criação de Lê+Lé: Eu sou um Monstro.

Em 2020, se prepara para a estreia de Lê+Lé: Eu sou um Monstro

1992 – Defile Ford Models
1992 – Desfile Unit
1993 – Desfile Cotovia
1993 – Phitorevas 2 – Desfile Coristas
1994 – Phitoervas 3 – Desfile Marilia
1994 – Phitoervas 4 –
1995 – Phitoervas 5 –
1995 – Phitoervas 6 –
1996 –
1996 –
1997 – Morumbi Fashion Brasil – Desfile Pássaros
1997 – Morumbi Fashion Brasil – Desfile Shirley
1998 – Morumbi Fashion Brasil – Desfile Máscaras
1998 – Morumbi Fashion Brasil – Desfile Jockey
1999 – Desfile Neoprene –
1999 – Desfile Carnaval –
1999 – Setembro – Desfile Giorgio Beverly Hills em Los Angeles
2000 – SPFW – Desfile Rosas e Lirios
2000 – NYFW – Desfile Rosas e Lirios
2000 – SPFW – Desfile Jujubas
2000 – NYFW – Desfile Jujubas
2001 – SPFW – Desfile Fontes Feminino
2001 – SPFW – Desfile Fontes Masculino
2001 – NYFW – Desfile Fontes
2001 – SPFW – Desfile África
2001 – SPFW – Desfile Surf
2001 – NYFW – Desfile África
2002 – SPFW – Desfile Flores Gigantes
2002 – SPFW – Desfile Skate Feminino
2002 – SPFW – Desfile Skate Mascuino
2002 – MilanFW – Desfile Skate
2003 – SPFW – Desfile Academias Feminino
2003 – SPFW – Desfile Academias Masculino
2003 – SPFW – Desfile Basket Feminino
2003 – SPFW – Desfile Basket Masculino
2003 – MilanFW – Desfile Basket
2004 – SPFW – Desfile Morango Feminino
2004 – SPFW – Desfile Hortelã Masculino
2004 – Desfile Bahia/Beirute Masculino/Feminino
2005 – Desfile Ginger e Fred Feminino
2005 – Desfile Ginger e Fred Masculino
2005 – Desfile Bailarinas Feminino
2005 – Desfile Nadadores Masculino
2006 – Desfile Kara Walker Feminino
2006 – Desfile Kara Walker Masculino
2006 – Desfile Mathew Barney Feminino
2006 – Desfile Mathew Barney Masculino
2007 – Desfile Marrocos Feminino
2007 – Desfile Clown Masculino/Feminino
2008 – Desfile México/Marlene Feminino
2008 – Desfile México/Marlene Feminino

2008 – Desfile Clássicos
2009 – Desfile Amor
2009 – Desfile Guerreiras
2010 – Desfile Caos
2010 – Desfile Híbridos
2010 – Desfile Minas Trend
2011 – Desfile Bela da Tarde
2011 – Desfile/Performance Clarisse
2012 – Desfile Havaí
2012 – Desfile África
2012 – Desfile Patinadoras
2013 – Desfile/Performance O Mundo Maravilhoso do Dr. F. no Teatro Faap
2013 – Performance A Fábrica do Dr. F. no Museu MAB FAAP
2013 – Desfile/Performance Entrada Franca na Avenida Paulista
2014 – Desfile/Performance Me ofereça seu corpo e eu te faço Rainha no Teatro Faap
2015 – Desfile/Performance Um “Styling” para Condessa Sahyoun no Espaço FH
2016 – Desfile/Performance Marlene no Parque da Independência

2014 – A Feia Lulu – Teatro Faap, Espaço FH, Festival Cena Contemporanea
2015 – O Fingidor – Direção Samir Yasbec
2016- Morte e vida de uma Boneca de Moda
2016 – Lili Marlene – Um Risco 1
2016 – Lili Marlene – Um Risco 2
2016 – Lili Marlene – Um Risco 3
2016 – Lili Marlene – Um Risco 4
2016 – Lili Marlene – Um Risco 5
2016 – A Fábrica do Dr. F. 2
2016 – CemPeitos – Galeria Mezanino
2017 – Lili Marlene, um Anti Musical – Teatro Eva Herz
2018 – A Feia Lulu – Teatro Eva Herz
2018 – Lili Marlene, um Anti Musical – Teatro Eva Herz
2019 – Lê+Lé: Eu sou um Mosntro – em processo

2014 – Philips Brasil
2015 – Auditions Brasil
2015 – Eu e Ella – Maria Rita canta Ella Fitzgerald

2010 – Jeckyll and Hyde – O Médico e o Monstro – Direção de Fred Hanson
2010 – Sintoma – Direção de Silvana Abreu
2012 – O Mágico de Oz – Direção Charles Moeller
2013 – Allô Dolly! – Direção Miguel Falabella
2013 – A Madrinha Embriagada – Direção Miguel Falabella (Prêmio Bibi Ferreira e Prêmio Reverência de melhor figurino de 2014)
2013 – Romeu e Julieta da Turma da Mônica – Direção
2013 – A Casa de Bernarda Alba – Direção Elias Andreato
2013 – Jocasta – Direção Elias Andreato
2014 – Meu Deus – Direção Elias Andreato
2014 – 220 Volts – Direção Paulo Gustavo
2014 – Hiperativo com Paulo Gustavo – Direção Fernando Caruzo
2015 – Ilhada em Mim, Sylvia Plath – Direção André Guerreiro Lopes
2015 – Blow Up – Direção Mariana Sucupira e Maristela Estrela
2015 – Casa Vazia – Direção Marina Caron e Anderson Gouvea
2015 – Um Bonde Chamado Desejo – Direção de Rafael Gomes (Indicação ao Prêmio Shell de Melhor Figurino de 2015)
2015 – A Morte Acidental de um Anarquista – Direção de Hugo Coelho
2015 – Araca – Direção Elias Andreato
2015 – A Floresta que Anda – Direção de Christiane Jatahy
2016 – Chiquita Bacana no Reino das Bananas – Direção Dagoberto Feliz
2016 – As Ondas ou uma Autópsia – direção Gabriel Miziara
2016 – Banquete – direção Maicon Clenk
2016 – On Line de Paulo Gustavo – direção João Fonseca
2016 – Jacqueline – direção Rafael Gomes
2016 – Rent – direção Susana Ribeiro
2017 – Num Lago Dourado – direção Elias Andreato,
2017 – Os Corvos – direção Luis Ferron
2017 – O dragão de fogo – direção Marcelo Lazaratto (Prêmio SP de Melhor figurino Infantil em 2017)
2017 – La Belle Helène – direção Caetano Vilela.
2017 – O Fantástico Mundo de Lore – Direção Fred Soares
2018 – Orquestra – Direção José Possi Neto e Anselmo Zolla
2018 – O Casamento Secreto – Direção Caetano Vilela
2018 – Isaura Garcia o Musical – Direção Kleber Toledo
2018 – Nelson Gonçalves o Musical – Direção Tania Nardini
2019 – Sunset Boulevard – Direção Fred Hanson (Prêmio Bibi Ferreira de Melhor figurino em 2019)
2019 – Depois – Direção William Pereira e Anselmo Zolla
2019 – La Clemenza de Tito – Direção Caetano Vilela
2019 – Sísifo – Direção Vinicius Calderoni
2019 – Madagascar o Musical – Direção Marllos Silva
2019 – Diálogos – Direção Bruno Narchi

2004 – Figurino do show Maria Rita
2005 – Figurino do show Segundo
2007 – Figurino do show Samba Meu
2012 – Figurino do Show Redescobrir
2014 – Cenário e Figurino do show Coração a Batucar
2015 – Direção, Cenário e Figurino do show corporativo Eu e Ella – Maria Rita canta Ella Fitzgerald

Hoje mais do que tudo me sinto um artista performer.  Na música eu me vejo um ator que canta. No teatro as vezes me vejo ainda tentando esconder o estilista. Na moda sinto muitas vezes que estou atuando.

O que o teatro trouxe para o meu trabalho na moda foi a verdade. A verdade de ser quem eu sou, com sou. Assumir o artista com todas as suas dúvidas e questões. Quero continuar duvidando, não me levando muito a sério.

Quero seguir fazendo arte e tentando fazer o mundo mais belo. Intersectando todos os universos, criando conexões entre pessoas talentosas e sempre sabendo que estou apenas no meio do caminho.